RODA A RODA DA VIDA

A partir do momento em que a roda da vida gira, sentimentos caem, pessoas ficam, lugares comuns tornam-se estranhos. 

Lar vira aquele espaço antes inabitado, ler a situação, e a ela adaptar-se, torna-se a única saída. 

A criatividade grita, o coração se agita, e embarcamos na roda. Em busca de algo que sequer sabíamos que procurávamos. Em busca daquilo que só encontraremos no caminho. 

Na montanha russa de nossos dias, giramos, subimos, descemos e então começamos tudo de novo.

Somos jogados ao novo inesperadamente, pegos de surpresa pela chuva, pelo frio, e sem aviso corremos para buscar abrigo.

Abrigo afetivo, profissional, abrigo de nós mesmos.

Permanecemos a salvo, quietinhos e quentinhos, longe da confusão do mundo.

Então, com o suceder dos dias, aquele lugar agora lar deixa de ser adequado. Passa a ser nossa prisão. O outrora refúgio vira ilusão.


A roda da vida começa então a girar novamente. Nela é preciso embarcar. Afinal, permanecer não mais satisfaz.

É preciso correr o mundo, é preciso se molhar, estar na chuva e apreciar os dias. Confraternizar com quem passa pelo caminho. Se apaixonar pela vida, por si, pelos outros.

Quando a roda da vida volta a girar, e ela gira muito e sem parar, sentimos o chamado. Sabemos que não dá mais para ficar. Arrumamos nossas trouxas, ajeitamos o cabelo, e subimos na montanha russa. 

Agora, só resta levantar os braços e aproveitar a viagem.❤

Em alta

OS TRÊS MOSQUETEIROS - D´ARTAGNAN - cinema em seu melhor

'BATEM À PORTA" - Um filme que faz sentir

CREED III