A MAGIA DE CADA DIA (Temas de "American Gods")

No "Temas" de hoje quero falar sobre MAGIA


Não a magia óbvia de "American Gods", essa série incrível baseada no livro homônimo de Neil Gaiman.

Aqui, os velhos deuses, aqueles que foram levados para os Estados Unidos junto com o fundadores, imigrantes, das mais diversas nacionalidades, se veem perdendo prestígio e adoração para os novos deuses, o dinheiro, a tecnologia, a mídia, a globalização.

Então, iniciam uma guerra para recuperar seus súditos e também a glória de antigamente.

Ainda não li o livro, mas estou louca para lê-lo. A série, produzida por Neil Gaiman, tem uma estética impecável, atores brilhantes, efeitos visuais belíssimos, diálogos fortes e que tocam na ferida. Possui algumas cenas mais fortes, mas tudo parte dessa história cheia de magia e realidade (parece contraditório, mas não é).

Apesar de recomendar muito a série, não é sobre ela - ao menos não diretamente, que quero falar. Quero falar sobre a magia de cada dia, ou sobre a falta dela, e o que ela acarreta em nossas vidas.

Logo no começo da série, somos apresentados a uma das personagens, que não acredita em nada, leva uma vida sem graça, cinza, que mesmo tendo aparentemente tudo para ser feliz, não é. Como diz um dos personagens depois, ela passava pela vida dormindo.

Em certa passagem da história, ela diz que não acredita em nada, que não há nada na vida - e nem após, em que valha a pena acreditar. Na verdade, acredita que é tudo mentira e que a vida é uma sucessão de nadas, que leva ao nada final e inevitável.

E assim, munida desse pensamento e dessa crença, passa como sonâmbula pela vida, buscando nos poucos acontecimentos alguma relevância, buscando sentir algo, qualquer coisa que seja. E assim vai até sua morte (e além...).

Pois bem, isso me pôs a pensar. Uma vida sem crenças, nenhuma, é uma vida sem magia, e uma vida sem magia, realmente é uma vida que vale a pena ser vivida?

A magia a que me refiro é a magia das crenças, na fé, no invisível, sim, acreditar em tudo isso ou em algo tira o peso da existência, ou ao menos o diminuiu e nos dá algum conforto.

Porém, principalmente, a magia a que me refiro é a que vem de livros, filmes, histórias, arte, música, pintura, escrita, desenho, fotografia, pessoas, momentos, de um pôr do sol, do orvalho da manhã. É a que vem de cada momento, de cada gota de chuva. É a magia que vem da poesia dos dias.

A vida não é em preto e branco, ou ao menos não deveria ser. Temos um arco íris inteiro para ver e viver, e todas as cores no meio.

Viver sem magia é retirar o mel da vida, a cor, e assim, vagar por ela sem destino, sem propósito, sem amor.

Por isso, sobre a magia de cada dia, inspirada na série "American Gods", de Neil Gaiman, penso que talvez, só talvez, as coisas não sejam como parecem.

Talvez, só talvez, o mundo não seja preto e branco. Talvez, só talvez, tudo mude de repente. E quando isso acontece, o que você faz?

Até que então, o dia acaba. E o que você fez com os sonhos que não viveu? Com a magia que se perdeu? Com o universo de possibilidades a sua frente?

A magia está toda aí, agora acreditar nela ou não é uma questão de escolha. Tudo começa com a forma como vemos o mundo. Que seja cheia de poesia e ares de magia.

Um comentário:

  1. Que lindo Carol! Penso muito em como seria da nossa vida sem a magia das histórias e nos universos que permeiam com o nosso imaginário, e até trazemos a tona para nossas vidas? É como o arco íris que vc mencionou, muitas cores e além para serem exploradas, vividas e sonhadas. Viva a magia da vida!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.