CASAL IMPROVÁVEL (e as dinâmicas da vida)

Cheguei sem expectativas à sessão. Porém, esperançosa, afinal, Charlize Theron arrasa e só escolhe papéis fora do padrão, ao que Seth Rogen faz o tipo de comédia inteligente, o que me agrada. Para minha surpresa e divertimento, minha esperança foi recompensada com um filme leve, engraçado, inteligente e por que não, romântico.

Charlize é a Secretaria de Estado norte americana que trabalha muito, e trabalha bem. Se preocupa genuinamente com o país e as questões sociais. Porém, como toda mulher em posições de alto poder, precisa trabalhar o dobro para manter sua imagem e seu trabalho - ainda que seus resultados sejam inquestionáveis.

O filme trata de questões atuais de uma forma inteligente. Várias são as referências à cultura pop, aos acontecimentos mundiais, arrancando gargalhadas em várias cenas. 

A dinâmica entre Charlize e Seth funciona muito bem, eles têm química e convencem como um "casal improvável", não convencional. Porém, o que é um casal convencional?

Seria um casal que se encaixa aos olhos da sociedade, aos padrões rígidos - e arbitrários, que surgiu sabe-se lá de onde? Um casal em que os papéis são pré estabelecidos, em que o homem tem o "poder", tem o emprego que paga melhor?

Felizmente o cinema vem abordando a nova dinâmica, que reflete a sociedade atual: não há dinâmica pré estabelecida. Há carinho, amor, afeto, cumplicidade. Há escolhas. 

Aqui, nossos protagonistas não comprometem o que acreditam, ao contrário, reforçam suas crenças, seus sonhos, e juntos se tornam mais fortes. Em momentos pequenos e grandes, mantêm suas integridades, mesmo que, talvez na hora parecesse melhor não mantê-las.

Não vou entregar a história, que merece ser vista e apreciada, mas digo isso: as pessoas aparecem e reaparecem em nossas vidas por um motivo, sempre no momento certo. Vêm para nos lembrar de nós mesmos, às vezes de que estamos tão focados em nossos planos e objetivos - e não há nada de errado com isso, salvo quando nos perdemos no caminho.

E aqui, não digo se perder no sentido de se tornar outra pessoa, mas de se esquecer de quem se é, de se fazer feliz também na jornada, não só no destino. 

Todos nós merecemos ser felizes, encontrar alguém para dividir a jornada da vida. Não há nada de errado em seguir planos e sonhos, pelo contrário. Também não há nada de errado em querer seguir sozinho.

O que o filme nos mostra é que quando nos permitimos seguir com confiança no caminho, aproveitando as oportunidades e seguindo nossa intuição - e coração, coisas incríveis acontecem.

Quando sabemos o valor que temos, o mundo passa a nós valorizar também. As pessoas com que nos relacionamos passam a ver quem realmente somos e nada consegue competir com a verdade que mora em nosso coração.

"Casal Improvável" é um filme que faz rir, pensar, sentir. É um pouco comédia, um pouco comédia romântica, tem cenas incríveis, locações lindas e um ritmo que prende e envolve.

Com ares de "Um Lugar Chamado Notting Hill", é uma ótima pedida para o mês dos namorados, e para todos os outros. Afinal, é sempre tempo de se apreciar um bom filme.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.